A AMIZADE É O MAIS PURO DOS SENTIMENTOS

Posted by casciano in Notas | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

PUBLICADO DESDE 2002. REESCRITO HOJE, DIA DA AMIZADE, DIA DO AMIGO.

De cara, confesso que é muito difícil explicar o que é amizade, porque amizade você sente. Daí não ser tarefa fácil explicar um sentimento, ou o mais sensível deles, até porque a amizade é um sentimento construído na base subjetiva das emoções.

Surpreendo-me com a dificuldade para cumprir o desafio, por mim mesmo lançado, de escrever sobre a amizade. Amigo elogia amigo, sim. E esse elogio é valioso, pois sincero e verdadeiro. O que não vale é elogio de inimigo, pois traz em si a dissimulação e a traição.

Mas, como não se deve fugir dos desafios, fui em busca de explicações, até mesmo para satisfazer os meus amigos, colegas de sopas de letras neste espaço cibernético.

Sei que a amizade é um sentimento profundo, raro de existir e mercadoria em falta nas prateleiras do coração de homens e mulheres ocupados com as obrigações profissionais, cada dia mais escravizantes.

Sei também que a amizade é um sentimento puro. Se não houver pureza e isenção de sentimentos, não é amizade.

E é muito difícil se construir uma amizade, pois qualquer deslize e o que poderia ser uma amizade, vira somente simpatia. Aliás, simpatia é uma coisa e amizade é outra, como nos ensina Karol Wojtyla, na sua obra Amor e Responsabilidade. Ali, escreve o Papa João Paulo II: “O amor, no seu conjunto, não se reduz à emoção nem ao sentimento, que não são senão alguns dos seus componentes. Um elemento mais profundo, e de longe o mais essencial de todos, é a vontade, que tem o papel de modelar o amor no homem. Na amizade – ao contrário do que sucede na simpatia – a participação da vontade é decisiva”.

Daí, deduzir-se que é mesmo a amizade um sentimento que acontece por vontade e independente de outras influências ou interesses racionais.

Alguns intelectuais, como o jornalista Sérgio Cabral, conhecendo pessoas adultas e querendo expressar sentimentos de confiança, diz ao novo conhecido, até mesmo como uma revelação de elogios:

– Você é o meu mais novo amigo de infância!.

Diz isso porque sabe que a amizade de infância é a mais despretensiosa e desinteressada possível. Sabe que na amizade de infância há confiança, há ingenuidade, há pureza de sentimentos, há isenção de interesses e há, sobretudo, gratidão pela simples reciprocidade. E ele disse isso para o jornalista Jânio Vidal, muitos anos atrás, aqui em Natal.

Aristóteles, do alto da sua sabedoria, sabendo das dificuldades que é a construção do edifício da amizade, certa vez escreveu:

“Alguns pensam que para se ser amigo basta querê-lo, como se para se estar são bastasse desejar a saúde…”. Que bela frase, não? Pois bem, o próprio Aristóteles também nos ensina que “O amigo é um outro eu. Sem amizade o homem não pode ser feliz.”

Agora já se pode imaginar que a amizade não é um sentimento fácil de se construir. Mas também é possível se saber que a amizade traz felicidade.

Cícero, o pai da oratória, escreveu que “Não sei se, com excepção da sabedoria, os deuses imortais ofereceram ao homem alguma coisa melhor que a amizade”. Ele mesmo arremata, em outro trecho da sua obra: “Existe alguma coisa melhor do que ter alguém com quem te atrevas a falar como contigo mesmo?”

Como defensor de que o amigo é quase uma duplicação do eu, o próprio Cícero também prega: “Este é o primeiro preceito da amizade: pedir aos amigos só aquilo que é honesto, e fazer por eles apenas aquilo que é honesto”. É claro que se estamos pedindo por nós mesmos e fazendo por nós mesmos, nada mais justo que seja alguma coisa honesta. É ainda Cícero quem adverte: “A amizade começa onde termina ou quando conclui o interesse”. Portanto, temos aí mais uma indicação de que a amizade e interesses outros não combinam.

Voltaire, por sua vez, escreveu que “O maior prazer que alguém pode sentir é o de causar prazer aos seus amigos”, onde percebemos que a amizade provoca a satisfação pela reciprocidade. Um amigo ajuda ao outro e assim, reciprocamente se ajudam e sentem-se satisfeitos por isso.

Platão vai mais fundo e afirma que “A amizade é uma predisposição recíproca que torna  dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro”.

Na Bíblia, encontramos um pequeno trecho com este ensinamento:

“Não abandones o velho amigo, porque o novo não será como ele”.

No mesmo enfoque, consegue-se extrair da obra de Saint-Exupéry, esta frase que complementa e amplia o ensinamento bíblico:

“Nada, jamais, substituirá o companheiro perdido. Velhos camaradas não se criam. Estas amizades não se refazem: ao plantar um carvalho, é vã a esperança de poder gozar brevemente da sua sombra”. Sobre o tempo que enraíza as amizades, Saint-Exupéry também escreveu que “Não se compra a amizade de um companheiro a quem as privações vividas em comum nos ligaram para sempre”.

Numa outra linha, mas também complementando o que já está dito, Demétrio escreveu que “Um irmão pode não ser um amigo, mas um amigo será sempre um irmão”.

Há tantas frases sobre a amizade e muitas expressam detalhes da sua concepção que, à seguir, reproduzimos algumas.

“Ter amizade é uma coisa muito nobre, muito grande. Mas a amizade deve levar a ter actuações leais na vida, porque o amigo não pode ser um cúmplice. É-se cúmplice para cometer delitos, coisas vergonhosas. A amizade é para realizar, com outros, coisas boas a favor de outras pessoas. Se não, não é verdadeira amizade”. (Beato Josemaría Escrivá).

“Acima de tudo, na vida, temos necessidade de alguém que nos obrigue a realizar aquilo de que somos capazes. É este o papel da amizade”. (Emerson).

“Um amigo é uma pessoa com a qual se pode pensar em voz alta”. (Ralph Waldo Emerson, pensador norte-americano).

“Na prosperidade, os nossos amigos conhecem-nos; na adversidade, nós conhecemos os nossos amigos”. (Churton Collins).

“Consolamo-nos tendo muitos amigos por não termos encontrado um”. (Abel Bonnard).

“O melhor espelho é um velho amigo”. (George Herbert).

“É mais vergonhoso desconfiar dos amigos do que ser enganado por eles”. (Jean de la Bruyere).

“Ouve o conselho de quem muito sabe; sobretudo, porém, ouve o conselho de quem muito te estima”. (A. Graf ).

“A verdadeira amizade é como a fosforescência: nota-se melhor quando tudo ficou às escuras”. (Tagore).

“Se fizeres um favor, não o recordes; se receberes um favor, nunca o esqueças”. (Autor desconhecido).

“Se um amigo deixa de o ser é porque nunca o foi verdadeiramente”. (Provérbio).

“Os amigos verdadeiros são aqueles que vêm compartilhar a nossa felicidade quando os chamamos, e a nossa desgraça sem serem chamados”. (Demetrio de Falera).

“A única maneira de ter um amigo é ser um”. (Ralph Waldo Emerson).

“Substituir o amor próprio pelo amor aos outros é trocar um tirano insuportável por um bom amigo”. (Concepción Arenal).

“Uma das alegrias da amizade é saber em quem confiar”. (Alejandro Manzoni).

“A amizade é identificação e diferença”. (Hermann Hesse).

“Uma amizade nobre é uma obra de arte a dois”. (Paul Bouget).

“O que mais impede de ter um bom amigo é o empenho em ter muitos. A amizade quer ser antiga”. (Plutarco).

“Ter um inimigo comum não é bom fundamento para uma amizade verdadeira”. (Richard Stengel).

“Estranho não equivale a inimigo, mas a amigo que ainda não conhecemos”. (Gleen).

“A verdadeira amizade é uma planta que se desenvolve lentamente”. (George Washington).

“Grande parte da vitalidade de uma amizade reside no respeito pelas diferenças, não apenas em desfrutar das semelhanças”. (James Fredericks).

“Não preciso de amigos que mudem quando eu mudo e concordem quando eu concordo. A minha sombra faz isso muito melhor”. (Plutarco).

“Amigos são aquelas pessoas raras que nos perguntam como estamos e depois ficam à espera da resposta”. (E. Cunningham).

“A união do rebanho obriga o leão a deitar-se com fome”. (Provérbio africano).

“Deus Nosso Senhor quis que eu fosse amigo do meu pai, e isto, evidentemente, evitou que tivesse más amizades”. (Álvaro del Portillo).

“A amizade é uma união de almas entre pessoas virtuosas. Porque: – os maus têm cúmplices; – os interesseiros, sócios; – os voluptuosos, companheiros de vícios; – os ídolos, admiradores; – os políticos, partidários; – os príncipes, cortesãos”. (Autor desconhecido).

“Censura teus amigos em particular e elogia-os em público”. (Públilius Syrius).

“Quando o teu amigo atravessar alguma aflição, não o aborreças perguntando-lhe o que podes fazer por ele. Pensa em algo apropriado e fá-lo”. (Ed. Howe).

“Não pode haver amizade sem confiança, nem confiança sem integridade”. (Autor desconhecido).

“Um tesouro nem sempre é um amigo, mas um amigo é sempre um tesouro”. (Autor desconhecido).

“Só existe uma coisa melhor do que fazer novos amigos: conservar os velhos”. (Elmer G. Letterman).

“A amizade duplica as alegrias e divide as tristezas”. (Bacon).

Para finalizar, um conselho de Platão: “Não deixes que a má erva cresça no caminho da amizade”.

E tudo isso vai para os meus amigos.

É por aí!…

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *