CANDIDATOS DE OPOSIÇÃO NO CREA/RN LANÇAM ÁLVARO CABRINI À PRESIDÊNCIA DO CONFEA

Posted by casciano in Pessoas | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

O evento foi ontem à noite no Restaurante Chapéu de Palha e reuniu dezenas de profissionais.

Os candidatos de oposição na próxima eleição para presidência do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia(CREA/RN), em 08 de novembro, lançaram na noite desta quarta-feira, 19, a candidatura do presidente licenciado do CREA do Paraná, engenheiro agrônomo Álvaro Cabrini Júnior, no Restaurante Chapéu de Palha.

Cerca de duzentos profissionais das mais diversas áreas ligadas ao conselho prestigiaram Cabrini.

O engenheiro Wilson Cardoso, presidente do Clube de Engenharia do Rio Grande do Norte e considerado o principal candidato de oposição ao atual sistema, discursou apresentando Álvaro Cabrini e aproveitou para lamentar o posicionamento do atual presidente do CREA, Adalberto Pessoa com relação à nota publicada e divulgada entre os associados do conselho com relação à polêmica criada pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), que decidiu impedir que os arquitetos votassem em todo o Brasil, embasado no fato de aqueles profissionais estarem criando o seu próprio conselho para funcionar em 2012.

“Ocorre que fiz um e-mail de solidariedade aos arquitetos citando a resolução do Confea, mas por um erro de digitação coloquei CREA ao invés de Confea. Imediatamente, quando percebi o engano, refiz o mesmo e-mail grafando ‘Confea’ e reenviei. Mesmo assim Adalberto Pessoa publicou uma nota paga nos jornais afirmando que a minha iniciativa em estar solidário aos arquitetos significava ‘leviandade e rebaixamento ético’, esclareceu Wilson Cardoso.

“Ora, os arquitetos continuam regidos e fiscalizados pelos CREAs de todo o Brasil até o final de 2011 e, portanto têm todo o direito de exercer o direito de voto”, completou o candidato.

“O fato é que Adalberto Pessoa gastou dinheiro, utilizando jornais para criar a polêmica, mesmo eu tendo corrigido o erro de digitação”, concluiu o candidato.

“Está entre nós quatro, o vencedor desta eleição de 08 de novembro”, afirmou o engenheiro Pedro Damásio.

“O CREA/RN está inclinado como a Torre de Pizza. Precisamos endireitá-lo, colocá-lo reto e firme”, criticou.

“Vejam que a instituição não deu nenhum apoio aos candidatos e tampouco convoca os profissionais para votar e isso é lamentável, além de fugir dos propósitos da instituição”, completou.

Na sua fala o técnico de nível médio Gutemberg Dias reforçou as críticas feitas anteriormente por outros candidatos.

“O CREA como instituição de defesa da sociedade tem sido omisso no Rio Grande do Norte”, denunciou.

Suas palavras foram endossadas pelo também candidato, engenheiro Antonio Sílvio.

“O candidato da situação não contribuiu com nada para o CREA e hoje aparece como candidato à presidente”, criticou.

O candidato a presidência do Confea, Álvaro Cabrini Júnior, agradeceu a recepção dos candidatos de oposição, que considerou calorosa.

“A leitura que faço do que acontece aqui é uma só: a insatisfação com o CREA/RN é muito grande. Não podemos ter medo de ‘rastro de onça’. Vamos enfrentar essa turma que sabe mentir e espalhar inverdades” prometeu.

“Inventaram que eu havia chamado o Nordeste de ‘gueto’ e isso jamais aconteceu. Esse que vocês não querem na presidência do CREA do estado criou uma ‘caça as bruxas’ contra presidentes dos CREAs, enquanto conselheiro do Confea”, denunciou.

“Tínhamos que lutar como se gueto fôssemos, mas o gueto está no CREA do RN”, denunciou.

“Precisamos tirar o CREA do gueto em que foi colocado”, afirmou.

“Nós, profissionais das engenharias, somos os verdadeiros projetores e construtores do Brasil e precisamos trazer o sistema para o século XXI. Terei o apoio de todos e prometo que em 2014 as urnas chegarão pela Internet, inclusive com e-mails dos votantes disponibilizados para todos os candidatos, o que não ocorre hoje”, prometeu.

“O CREA/RN não é democrático? Porque não libera as informações aos candidatos de oposição, diferentemente do que faz com relação ao candidato da posição”, denunciou Álvaro Cabrini.

“Fique feliz em ver que o RN não discrimina técnico, que pode concorrer com toda liberdade, apesar das tentativas de impugnação pelo atual grupo que domina o conselho no RN”, concluiu Álvaro Cabrini.

Texto: Leonardo Sodré.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *