CAOS NA ORTOPEDIA DO RIO GRANDE DO NORTE

Posted by casciano in Cidades, Comportamento, Pessoas | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

Documento elaborado pelos médicos ortopedistas Julimar Nogueira de Queiróz Neto e Kleidson Bastos, revela a difícil situação porque passa o atendimento de traumatologia nos serviços públicos de saúde no Rio Grande do Norte.

Segundo eles, “o estado do Rio Grande do Norte passa por um triste momento de sua saúde pública em todas as áreas”. Por isso, “a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Regional do RN, vem através deste documento (leia-o na íntegra abaixo) trazer á tona as principais questões e propostas de solução, com o fim de evitar que esta situação se torne de calamidade pública na área da ortopedia”.

Eles acrescentam que “a intenção da SBOT-RN é levar junto às autoridades de saúde suas idéias e metas de ações com a finalidade de oferecer melhor qualidade de assistência aos pacientes com patologias ortopédicas e melhores condições de trabalho para os ortopedistas.

Leia o documento:

OS DOENTES COM PATOLOGIAS ORTOPÉDICAS NO RIO GRANDE DO NORTE VIVEM UM MOMENTO CAÓTICO

I – PREÂMBULO

PERANTE O COMPLICADO E GRAVÍSSIMO MOMENTO PELO QUAL TRANSCORRE A SITUAÇÃO DOS PACIENTES COM PATOLOGIAS DO SISTEMA MUSCULOESQUELÉTICO, PRINCIPALMENTE AS TRAUMÁTICAS, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE (RN), A SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA REGIONAL DO RN, VEM PERANTE A COMUNIDADE NORTERIOGRANDENSE, MAIS DIRETAMENTE AOS PACIENTES COM A REFERIDA PATOLOGIA, AOS ORTOPEDISTAS DO NOSSO ESTADO E ÀS AUTORIDADES GESTORAS DO SISTEMA ÚNICO DE SAUDE – SUS, PROPOR SOLUÇÕES E DISCUSSÕES A RESPEITO DESSE TEMA COM A FINALIDADE DE EQUACIONAR E SOLUCIONAR ESTA DELICADA SITUAÇÃO.

II – OBJETIVOS

1 – INSTITUIR E EQUIPAR OS SERVIÇOS MÉDICOS DE URGÊNCIA COM A FINALIDADE DE OFERECER O ADEQUADO ATENDIMENTO INICIAL E CONTROLE DO DANO –“DAMAGE CONTROL”;

2 – MELHORAR AS CONDIÇÕES ESTRUTURAIS PARA, QUANDO POSSÍVEL, NO ATENDIMENTO INICIAL E COM O “DANO JÁ CONTROLADO” REALIZAR O TRATAMENTO DEFINITIVO;

3 – FORNECER MAIOR RESOLUTIVIDADE DURANTE O ATENDIMENTO DO DOENTE COM TRAUMA ORTOPÉDICO;

4 – DIMINUIR A INCIDÊNCIA DE SEQUELAS PÓS TRAUMÁTICAS;

5 – REDUZIR O TEMPO DE ESPERA DOS PACIENTES NAS “LONGAS FILAS” AGUARDANDO RESOLUÇÃO DEFINITIVA DO CASO;

6 – MINIMIZAR A PRESENÇA DE PACIENTES NOS CORREDORES DOS HOSPITAIS DE URGÊNCIA – MELHORAR AS CONDIÇÕES DE ATENDIMENTO AOS PACIENTES, COMO TAMBÉM,

7 – AS CONDIÇÕES DE TRABALHO PARA OS PROFISIONAIS MÉDICOS, EM PAUTA, OS ORTOPEDISTAS.

III – PROPOSTAS

EQUIPAR E OFERECER CONDIÇÕES AOS PRINCIPAIS HOSPITAIS DO NOSSO ESTADO QUE SÃO O HOSPITAL TARCISIO MAIA EM MOSSORÓ, HOSPITAL DEOCLÉCIO MARQUES DE LUCENA EM PARNAMIRIM E O HOSPITAL MONSENHOR WALFREDO GURGEL/PRONTO SOCORRO CLÓVIS SARINHO EM NATAL, ATRAVÉS DE UMA POLÍTICA DE ABASTECIMENTO DE MATERIAS INDISPENSÁVEIS AO ATENDIMENTO BÁSICO DO PACIENTE COM TRAUMA ORTOPÉDICO.

ESTES MATERIAIS INCLUEM DESDE INSUMOS HOSPITALARES AOS MAIS VARIADOS SISTEMAS DE TRATAMENTO E FIXAÇÃO DAS FRATURAS.

OBSERVAMOS QUE A REGRA AO LONGO DOS ANOS É O COMPLETO DESABASTECIMENTO DESTES HOSPITAIS GERANDO ASSIM O TRATAMENTO INCOMPLETO COM O CONSEQUENTE ACÚMULO DE PACIENTE EM REGIME DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR.

O SIMPLES ABASTECIMENTO DOS SERVIÇOS HOSPITALARES DE URGÊNCIA REFLETIRIA INTENSAMENTE NA REDUÇÃO DO NÚMERO DE PACIENTES NO AGUARDO DA CIRURGIA “SECUNDÁRIA” E POR SUA VEZ AS POSSÍVEIS SEQUELAS PÓS TRAUMÁTICAS.

ATUALMENTE O PRINCIPAL HOSPITAL DE URGÊNCIA DO ESTADO, PELA PRIMEIRA VEZ EM SUA HISTÓRIA, CONTA COM NÚMERO ADEQUADO DE PLANTONISTAS, ENTRETANTO O AMBIENTE DE TRABALHO PARA A EQUIPE E ASSISTÊNCIA AO PACIENTE SÃO MUITÍSSIMO INSALUBRES.

ACREDITAMOS QUE OS PACIENTES E SEUS FAMILIARES/ACOMPANHANTES, ASSIM COMO OS PRESTADORES DE SERVIÇO EM SAÚDE DESTE E DE OUTROS HOSPITAIS NECESSITAM DE CONDIÇÕES MAIS ADEQUADAS PARA OFERECER UM ATENDIMENTO MAIS DECENTE.

NÃO SENDO POR DEMAIS REPETITIVOS, REINTERAMOS QUE UM ATENDIMENTO INICIAL APROPRIADO, COM CONTROLE DO DANO, E RESOLUÇÃO PRIMÁRIA DAQUELES CASOS POSSÍVEIS DE SEREM REALIZADOS, MINIMIZA EM GRANDE ESCALA AS FILAS DE PACIENTES PARA CIRURGIAS EM UM SEGUNDO TEMPO, ASSIM COMO AS SEQUELAS EVITÁVEIS.

AQUELES CASOS QUE NÃO POSSUEM AS INDICAÇÕES JÁ CITADAS ANTERIORMENTE DEVERÃO SER ENCAMINHADOS PARA SEREM OPERADOS, DE FORMA ELETIVA OU SEMI-ELETIVA, NO SERVIÇO PÚBLICO OU NA REDE CREDENCIADA AO SISTEMA ÚNICO DE SAUDE – SUS.

IV – SITUAÇÃO ATUAL

O CAOS INSTALADO ATUALMENTE NA SAÚDE DO ESTADO (RN) NOS LEVA A REFLEXÃO DE QUE SE FAZEM NECESSÁRIAS MEDIDAS URGENTES COM A FINALIDADE DE RESOLVER ESSE DRAMA PELO QUAL PASSAM OS PACIENTES VÍTIMAS DE TRAUMA ORTOPÉDICO.

O PRIMEIRO PASSO A REALIZAR É COM CERTEZA EQUIPAR E FAZER FUNCIONAR OS SERVIÇOS DE URGÊNCIA DO ESTADO, REPETIDAMENTE JÁ CITADO ANTERIORMENTE.

RESSALTAMOS QUE O NÃO SEGUIMENTO DESTE PRIMEIRO E MUITO IMPORTANTE PASSO, CONTINUARÁ GERANDO PACIENTES NOS CORREDORES, AGUARDANDO CIRURGIAS EM SEGUNDO TEMPO, COMO TAMBEM ÀQUELES QUE PODERIAM ESTAR LIVRES DE SEQUELAS DECORRENTES DO LONGO TEMPO DE ESPERA EM “FILAS DA UGV (UNIDADE DE GERENCIAMANTO DE VAGAS)”.

DEPOIS DE SEGUIDOS ESTES PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS, PODEREMOS AGORA DESENHAR UMA ESTRATÉGIA COM A FINALIDADE DE RESOLVER AS CIRURGIAS ELETIVAS E SEMI-ELETIVAS DOS PACIENTES QUE “PACIENTEMENTE” AGUARDAM EM LONGAS E DESCONFORTÁVEIS FILAS DE ESPERA.

A NOSSA PROPOSTA É UTILIZAR MAIS EFETIVAMENTE OS SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE ASSIM COMO A REDE CREDENCIADA AO SUS.

ACREDITAMOS QUE UM BOM ENTENDIMENTO ENTRE AS AUTORIDADES GESTORAS DE SAÚDE, O SINDICATO DOS MÉDICOS, AS SOCIEDADES DE CLASSES E AS COOPERATIVAS QUE DEVERÃO ESTAR UNIDAS NESSE MOMENTO CRÍTICO E DELICADO, É NECESSÁRIO PARA SOLUCIONAR OS PROBLEMAS.

DESCREVEREMOS A SEGUIR ALGUMAS IDÉIAS, QUE ACREDITAMOS SEREM EXEQUÍVEIS DESDE QUE HAJA FLEXIBILIDADE E INTERESSE POR PARTES DAS AUTORIDADES.

O HOSPITAL WALFREDO GURGEL E PRONTO SOCORRO CLÓVIS SARINHO DEVERÁ SER DESTINADO A FAZER A SUA MAIS IMPORTANTE FUNÇÃO: OFERECER O ADEQUADO ATENDIMENTO AO POLITRAUMATIZADO.

É PRECISO ENCARAR A DOENÇA CHAMADA TRAUMA DE FORMA SÉRIA, NÃO DE FORMA AMADORA COMO AINDA O É ATUALMENTE.

O PACIENTE POLITRAUMATIZADO É UM DOENTE COMPLEXO QUE NECESSITA DE CUIDADOS COMPLEXOS EM UM SERVIÇO DE ALTA COMPLEXIDADE E TOTALMENTE EQUIPADO.

CASO NÃO ENXERGARMOS DESSA FORMA, NEM AS AUTORIDADES DE SAÚDE NEM AS ENTIDADES DE CLASSE NEM AS COOPERATIVAS CONSEGUIRÃO CAUSAR O IMPACTO NECESSÁRIO PARA MUDAR A NOSSA TRISTE REALIDADE NO QUE DIZ RESPEITO AO TRAUMA.

O HOSPITAL DEOCLÉCIO MARQUES DE LUCENA DEVERÁ SER MELHOR EQUIPADO PARA OFERECER O ADEQUADO ATENDIMENTO AO POLITRAUMATIZADO, ASSIM COMO PODERÁ SER O PALCO ONDE OCORRAM CIRURGIAS ORTOPÉDICAS ELETIVAS.

PARA QUE OCORRAM CIRURGIAS ELETIVAS SERÁ NECESSÁRIA A MELHOR ESTRUTURAÇÃO DAQUELE SERVIÇO.

ATUALMENTE, COM O QUADRO DE FUNCIONÁRIOS DE ENFERMAGEM E DEMAIS PRESTADORES DE SAÚDE, FICA PRATICAMENTE IMPOSSÍVEL AVANÇAR, DE FORMA SÉRIA E OBJETIVA, NA RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS AÍ PRESENTES.

V – ENTIDADES MÉDICAS JUNTAS EM PROL DA RESOLUÇÃO

DIANTE DA SITUAÇÃO JÁ CONHECIDA E ESCLARECIDA FICA PATENTE QUE SUA SOLUÇÃO REQUER UMA VERDADEIRA “FORÇA TAREFA”, OU MELHOR, ESTA SITUAÇÃO CAÓTICA APENAS SERÁ SANADA QUANDO TODOS DEREM AS MÃOS E SE JUNTAREM NESTA MISSÃO COMPLEXA.

DESSA FORMA ACHAMOS QUE AS AUTORIDADES GESTORAS DA SAÚDE DO RN DEVEM OUVIR E SOLICITAR SOLUÇÕES EM CONJUNTO COM AS ENTIDADES QUE REPRESENTAM A FORÇA MOTRIZ DO TRABALHO EM SAÚDE: OS MÉDICOS. NESTE PARTICULAR OS ORTOPEDISTAS.

A SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLIGIA REGIONAL DO RN SE PROPÕE ATRAVÉS DE SUA DIRETORIA E COMISSÃO DE DEFESA PROFISSIONAL REAVALIAR OS PLANOS E PROPOSTAS DE SOLUÇÕES JÁ APONTADOS PELA SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE.

RATIFICAMOS A NECESSIDADE DA ELABORAÇÃO DE UM PROJETO SÉRIO, LONGO E DURADOURO QUE VISE EM LONGO PRAZO A RESOLUÇÃO E MANUTENÇÃO COM VISTAS A UM EXCELENTE ATENDIMENTO DOS PACIENTES EM GERAL, EM PARTICULAR OS COM PATOLOGIAS ORTOPÉDICAS.

ACREDITAMOS QUE A PARTICIPAÇÃO DAS AUTORIDADES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DEVERÁ FAZER PARTE DESTAS MUDANÇAS E DECISÕES, OFICIALIZANDO O QUE FORA ACORDADO E QUE AS DECISÕES E PROPOSTAS DEFINIDAS NÃO MUDEM CONSTANTEMENTE NA MEDIDA EM QUE MUDAM OS CARGOS DOS GESTORES EM SAÚDE.

REINTERAMOS QUE SE TRATA DE UMA SITUAÇÃO GRAVÍSSIMA ONDE A DEMORA NA RESOLUÇÃO COM CERTEZA NOS LEVARÁ A UM ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA/ESTADO DE SÍTIO.

NATAL, 21 DE FEVEREIRO DE 2011.

JULIMAR NOGUEIRA DE QUEIROZ JÚNIOR

PRESIDENTE SBOT – RN

CRM – RN: 4248 TEOT: 9704

KLEIDSON BASTOS

COMISSÃO DE DEFESA PROFISSIONAL SBOT – RN

CRM – RN: 4421 TEOT: 10660

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *