ESCUTE O PROFESSOR ALUÍZIO MARINS PRA DOMAR E CONVIVER MELHOR COM CAVALOS

Posted by casciano in Comportamento, Economia | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

Curso ensina a domar e conviver melhor com cavalos.

Atualmente a convivência entre criador e cavalos não é mais como em outros tempos, quando o primeiro se utilizava de métodos considerados violentos para domar o animal, e esse, trabalhado ao extremo, padecia com estresse e doenças em seu sistema psicológico.

E é sobre uma nova forma de convivência entre os dois que se trata o curso “A natureza dos cavalos e o seu relacionamento com os seres humanos”, promovido durante essa semana (24 a 26) no Centro de Treinamentos Senadora Kátia Abreu, em Parnamirim.

No curso, ministrado pelo professor Aluizio Marins, da Universidade do Cavalo, de São Paulo, são apresentadas novas técnicas de doma e toda a História da convivência entre homem e o cavalo em mais de seis mil anos de domesticação do animal.

“O curso é voltado para criadores, tratadores, alunos de escolas agrícolas e veterinários. Nas aulas, eles apreenderão novos métodos de trabalho que utilizam a paciência e o respeito pelo animal para melhor domesticar. Com isso, eles poderão tirar o máximo de seus cavalos sem os estressar ou prejudicar a sua saúde”, ressaltou o professor Marins.

De acordo com o organizador do curso no Rio Grande do Norte, veterinário Jorge Mota, a parceria formada entre a Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (que cedeu o Centro de Treinamentos Senadora Kátia Abreu), a Anorc, e a Escola Agrícola de Jundiaí, em Macaíba, foi fundamental para o sucesso do projeto.

“Sem esses apoios, não poderíamos ter promovido as aulas aqui no Parque Aristófanes Fernandes. Eles foram fundamentais”, resumiu Mota.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Álvares Vieira, as aulas mostrarão para os participantes que novos tempos chegaram para o campo e que a produtividade dos seus animais passa diretamente pelo tratamento adequado aplicado pelos criadores.

“Fiquei muito feliz com a idéia desse curso. Com esse pensamento (da doma respeitável), poderemos formar uma nova geração de criadores e tratadores embasados em conceitos modernos, que utilizam os seus animais de maneira responsável. Sem violência na domesticação e aproveitando ao máximo a força de seus cavalos”, explicou Vieira.

Aprendendo os sentidos dos cavalos – aprenda como seu cavalo pensa -, como ele responde à pressão, como ele age em situações de medo.

Seu cavalo é um ser vivo, que pensa, sente e requer um líder que ele respeite e confie em todos os momentos e construindo uma parceria com seu cavalo – descubra exercícios que ensinarão tudo sobre respeito mútuo, comunicação e os princípios do controle de pressão, alívio e controle do cavalo no cabresto e a importância do trabalho de chão – para entender como tudo o que você faz montado é influenciado pelo trabalho de chão, feito anteriormente à montada e trabalho de guia, alívio e colocação depressão, meias voltas, curvas, encurvaturas, desengajamento dos posteriores e anteriores como componentes do trabalho de chão.

Com o cavalo aprendendo tudo isto, o proprietário o terá mais leve nas embocaduras, entendendo todo o processo de transferência de peso, de equilíbrio, sempre confiando e participando de tudo com você e não para você.

A segurança dos cavalos e cavaleiros são pontos fundamentais e da maior importância.

Um cavalo respeitoso, feliz por estar com os seres humanos se sente respeitado e passa a respeitar cada vez mais a todos que estão a sua volta.

Com o respeito e confiança o medo não toma conta e a construção do relacionamento com o homem passa a ser mais fácil.

Serviço

“A natureza dos cavalos e o seu relacionamento com os seres humanos”

Local: Centro de Treinamentos Senadora Kátia Abreu (Parque Aristófanes Fernandes)

Parnamirim

De 24 a 26 de outubro

Texto e foto: Paulo Correia.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *