HOJE É O DIA DO JORNALISTA. NÃO HÁ O QUE COMEMORAR

Posted by casciano in Opinião | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 4 Comments

Hoje é o dia 7 de abril de 2010. Hoje é o Dia do Jornalista.

O jornalista e vereador Edvan Martins, do Partido Verde, vai registrar a data em pronunciamento às 14h30min de hoje, no plenário Érico Háckradt, da Câmara Municipal do Natal.

Sou jornalista registrado na DRT-RN, número 458.

Comecei na redação do Diário de Natal em 1977 e em 1978 tive a minha carteira assinada. Na época dividia com o jornalista Sávio Háckradt a mesma mesa de trabalho e a mesma máquina de escrever.

Tive ótimos exemplos para seguir e o mais forte deles, com certeza, foi o de João Neto, apelido de João Felismino da Silva, o editor geral do Diário de Natal daqueles tempos. O diretor era o jornalista Luiz Maria Alves, por quem os novatos tinham que passar aprovados num simples ditado de palavras e construção de frases.

Participei da mesma redação onde estavam, entre outros, Pepe dos Santos, Flamínio Oliveira, Everaldo Lopes, Edmar Viana, Aldemar de Almeida, Luciano Hérbert, Exmar Tavares, Osni Damásio, Margareth Martins, Carlinhos Prado, Dodora Guedes, Maria do Carmo, Osair Vasconcelos, Alexis Gurgel, Salésia Dantas, Roberto Guedes, Ricardo Rosado, Cassiano Arruda, Jânio Vidal, Vicente Serejo, Ubirajara Macedo, Albimar Furtado, Carlos Jorge e Paulo Tarcísio Cavalcanti, além dos fotógrafos Paulo Saulo, Argemiro Lima, Washington José, Moraes Neto e Carlinhos Silva. Eu era o “foca”, o mais novo e menos experiente.

Em 1979, acumulei com as funções da redação do Diário de Natal, a chefia do departamento de jornalismo da Rádio Poti, onde aprendi técnicas de rádio-jornalismo com o jornalista Paulo Tarcísio Cavalcanti e as escolas de rádio-jornalismo “O Grande Matutino Poti” e “O Galo Informa”, nas potentes vozes de Ademir Ribeiro, Nilson Freire, José Antonio Pereira e Liênio Trigueiro.

Sempre me impressionei com o compromisso com a notícia de Luiz Maria Alves, João Neto e Carlos Jorge, basilares em seus conceitos para a minha formação ética no jornalismo.

Também trabalhei e ainda trabalho com assessoria de imprensa, mas ainda me esforçando muito para não misturar uma coisa com a outra. São procedimentos diferentes, embora todos debaixo da mesma orientação ética.

Trabalhei na área comercial de veículos de comunicação, mantendo também atitudes baseadas na ética profissional.

Continuo aprendendo a ler e imagino a maravilha do olhar poético de Nelson Rodrigues e de Armando Nogueira para a notícia. Insuperáveis.

Guardo e continuarei acumulando experiências em rádio (Poti, Trairi, Tropical, RPC, CBN-Natal), jornal (Diário de Natal, Jornal do Commércio, Jornal do Brasil, O Globo); revista (A Carta, RN Econômico, FOCO); televisão (Bandeirantes, Tropical-Manchete, Tropical-Record); produtora de comerciais (Ilimitada); agência de propaganda (Índice Comunicação, Antares); instituto de pesquisa (Índice Pesquisa) e agora na internet com este blogue.

Lembro com saudade da redação da revista RN Econômico, com Adriano de Sousa, Sandro Fortunato, Sebastião Vicente, Hélio Cavalcanti, Iranilton Marcolino, Heverton de Freitas, Andréia Ramos, Cassiano Arruda, Jânio Vidal, Cassius Clay, Luciano Kleiber e o fotógrafo Canindé Soares.

Recordo os amigos das redações da Revista A Carta, da Tv Tropical e da Rádio CBN.

Os colegas da Direção de Redação da Assembléia Legislativa, da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Natal, da TV Bandeirantes, do Jornal do Commércio…

Lembro de textos que escrevi para o Jornal do Brasil (via Jomar Morais e Juarez Bahia) e para a Folha de São Paulo (via Dacio Nitrini).

Admiro Dacio Nitrini, Bóris Casoy, Nêumani Pinto, Ari Cunha, Jomar Morais, Joezil Barros e o veterano paraibano Josélio Gondim, além de muitos outros bons jornalistas brasileiros.

Comecei minha vida de jornalista na redação do Diário de Natal, dos Diários Associados (1977). Sai para outros desafios profissionais (1981). Fui chamado de volta para gerenciar a Rádio Poti (1989). Depois sai para outros desafios (1993). Fui novamente convocado para dirigir o departamento comercial do Diário de Natal (1995). Mais uma vez saí (1997)…

Hoje, infelizmente, o jornalista brasileiro não tem o que comemorar.

Os aviltantes salários pagos nas redações, leva, invariavelmente, o jornalista a procurar acumular um “bico” numa assessoria de imprensa para complementar a sua renda no fim do mês.

O mercado, por sua vez, só contrata assessor de imprensa que tenha “influência” nos veículos de comunicação.

Seria muito bom separar o que é jornalismo do que é assessoria de imprensa.

Hoje “tá tudo misturado”.

E a notícia tem sua credibilidade pública ameaçada, num país em que o presidente populista e chefe do Poder Executivo (Lula) afirma que o jornalista tem que escrever notícia boa, positiva; o chefe do Poder Judiciário (Gilmar Mendes) derruba a exigência do diploma para o registro profissional e o chefe do Poder Legislativo (José Sarney), via familiares, processa um jornal usando a lei de imprensa, o verdadeiro lixo do autoritarismo da ditadura militar, já totalmente ultrapassada.

É ph… (com ph mesmo!).

Infelizmente.

Mesmo assim, parabéns aos colegas que escolheram esta profissão que carrega uma missão de vida: denunciar o erro, o abuso e a injustiça. 

É por aí!…

Compartilhe

4 Responses to HOJE É O DIA DO JORNALISTA. NÃO HÁ O QUE COMEMORAR

  1. JOMAR VALENÇA says:

    QUERIDO AMIGO CASCIANO.
    VEJAM AS COISAS COMO SÃO….PROCURANDO NUMA HORA DE FOLGA(coisa rara) PELO AMIGO ASSIS DE PAULA (já falecido), ENCONTREI ADEMIR RIBEIRO NUMA ENTREVISTA E DEPOIS MOVIDO PELA CURIOSIDADE FUI ATRAS DE OUTROS COLEGAS DO RADIO TEMPO DA RADIO POTY E ENCONTRO SEU BLOG.
    MEU AMIGO CASCIANO FOI UM PRAZER SABER NOTICIAS SUAS. AINDA CONTINUO NO RADIO AQUI EM CURITIBA, DODINHO PRA VOLTAR A NATAL ONDE PRETENDO MORAR E FICAR ATÉ OS OSSOS PERMITIREM.
    HOJE 8 DE MAIO DE 2010 ESTOU COMPLETANDO 51 ANOS E NÃO SEI SE É DEVIDO A IDADE, MAS ME DEU UMA SAUDADE ENORME DOS VELHOS AMIGOS, VELHOS E QUERIDOS DIGA-SE DE PASSAGEM.
    ABRAÇOS FRATERNAIS MEU AMIGO.
    JOMAR VALENÇA-CURITIBA-PR

  2. casciano says:

    Meu caro Jomar, muito bom saber de notícias suas. Obrigado pela leitura do blogue. Vivemos um tempo muito bom na “velha” Rádio Poti. Disponha sempre da minha amizade. Cordiais saudações, Casciano Vidal.

  3. Jose Valdir Juliao says:

    Um pouco mais novo que vc nas redações, cheguei em maio de 1979, mas como vc, meu caro amigo, tive o prazer de trabalhar e conhecer algumas das figurinhas ai em cima. Um abraço!

  4. Jose Valdir Juliao says:

    Exmar Tavares, foi, inclusive, quem me abriu as portas, com uma vaga para a qual ele tinha sido convidado: repórter de esportes do finado “A República”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *