MARCELO CORRÊA DESTACA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DO GRUPO NEOENERGIA

Posted by casciano in Economia | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

Neoenergia destaca eficiência energética do Nordeste na Rio+20.

Estádio Pituaçu Solar, parques eólicos e troca de 183 mil geladeiras velhas por aparelhos até 70% mais econômicos inovam na sustentabilidade do setor elétrico

O Grupo Neoenergia apresenta na Rio+20 que o Nordeste brasileiro assumiu a vanguarda do consumo eficiente e sustentável de energia elétrica.

A holding, que controla as distribuidoras de energia da Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Norte (Coelba Celpe e Cosern, respectivamente), já investiu R$ 225 milhões em projetos de eficiência energética nestes estados e R$ 1,66 bilhão em geração de energias limpas e renováveis, como hídrica e eólica, e no desenvolvimento de outras fontes.

O stand da Neoenergia na Rio+20 tem sido visitado por autoridades no setor elétrico, como o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.

Um dos projetos que chamam a atenção é o Estádio Pituaçu Solar, inaugurado em abril, em Salvador.

É o primeiro estádio da América Latina a gerar energia a partir de um sistema solar fotovoltaico. Investimento de R$ 5,5 milhões, sendo R$ 3,8 milhões da Coelba e R$ 1,7 milhão do Governo do Estado da Bahia, o sistema tem capacidade para gerar 400 kWp (quilowatts-pico – medida específica de potência para geração fotovoltaica), o que proporciona uma geração anual de energia elétrica estimada em 630 MWh (megawatts-hora).

O suficiente para atender as necessidades do estádio e ainda reduzir o consumo de energia convencional da sede da Secretaria Estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

A mesma tecnologia será adotada pelo grupo no Arena Pernambuco, um dos 14 estádios-sede dos jogos da Copa do Mundo de 2014, que receberá investimento de R$ 13 milhões para instalação de um sistema de geração solar fotovoltaico com capacidade instalada de 1 MWp, conectado à rede da Celpe, em parceria com a Odebrecht Energias Alternativas.

E um terceiro projeto de energia solar está sendo implantado pela Celpe na Ilha de Fernando de Noronha, para instalação de um Sistema de Geração Solar Fotovoltaico de 400 kWp no Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Fernando de Noronha (DTCEA-FN).

Outro programa pioneiro da Neoenergia é o Nova Geladeira, que doou 183 mil refrigeradores com o selo de economia Procel em troca de aparelhos velhos.

Uma geladeira em mau estado pode ser responsável por até 70% do valor da conta de energia de famílias de baixa renda.

Ao adequar o consumo à capacidade de pagamento destes consumidores, a Neoenergia reduz o número de  ligações elétricas clandestinas e ainda contribui para a qualidade de vida das pessoas, melhorando o nível de conservação dos alimentos.

Os refrigeradores do Programa Nova Geladeira podem proporcionar uma economia média de 53 kWh/mês.

Estes aparelhos utilizam o R600a (isobutano), gás considerado ecológico, e são fabricados pela Mabe especialmente para a Neoenergia.

O grupo também já doou 1,5 milhão de lâmpadas eficientes em troca de lâmpadas incandescentes.

No total, as doações de geladeiras e lâmpadas já geraram uma economia de R$ 171 milhões em energia, o equivalente à produção de uma usina hidrelétrica com capacidade de 42 MW ou ao consumo de cidade com 176 mil habitantes ou da população inteira do Acre.

“Na região em que atuamos 53% dos consumidores residenciais são de baixa renda. Por esta razão, faz parte do nosso compromisso adequar o consumo à capacidade de pagamento dessas pessoas, com programas de eficiência energética, que receberão mais R$ 40 milhões nos próximos três anos, e incentivando-as a se cadastrarem no programa de Tarifa Social, que pode reduzir o valor da fatura de energia em até 50%. Cerca de 2,5 milhões de famílias ainda podem ser beneficiadas pela Tarifa Social nestes estados”, diz Marcelo Corrêa, presidente da Neoenergia.

O Grupo Neoenergia também participa da implantação e operação de 10 parques eólicos no Nordeste, através da Força Eólica, uma joint venture com a Iberdrola.

E detém participação em usinas hidrelétricas de baixo impacto ambiental, como Dardanelos, no Mato Grosso, que opera no conceito de fio d’água (sem reservatório).

A Neoenergia conta ainda com seis plantas de cogeração de energia, utilizando gás natural e vapor.

Ao produzir 905 toneladas de vapor por hora, essas plantas geram 93 MW de energia e deixam de lançar 46 mil toneladas gás carbônico na atmosfera.

Além disso, quatro das cinco Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) do Grupo Neoenergia já obtiveram autorização da ONU para emissão de créditos de carbono, por produzirem energia limpa.

“Estamos contribuindo para que o Brasil dê um exemplo ao mundo em termos de sustentabilidade no setor de energia elétrica”, declara Marcelo Corrêa.

O Grupo Neoenergia é o terceiro maior investidor privado do setor elétrico brasileiro, com investimentos de R$ 20,4 bilhões desde a sua constituição, em 1997, até 2011.

Atua em geração, transmissão, comercialização e distribuição de energia – formado por 26 empresas em 12 estados do País.

Em 2011, contava com 5.137 colaboradores diretos e 19.890 prestadores de serviços.

Na distribuição de energia, é o maior grupo privado em número de clientes, com 9,4 milhões de unidades consumidoras na Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Na geração, também se destaca entre os maiores grupos do setor elétrico do país.

Possui capacidade instalada de aproximadamente 1.553 megawatts (MW) e deve chegar 4.047 MW até 2019.

Com André Sales.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *