MÉDICOS DE PARNAMIRIM VOLTAM AO TRABALHO. ACABOU A GREVE

Posted by casciano in Comportamento | Tagged , , , , , , , , , , , | Leave a comment

Reunidos em assembléia na noite de ontem, 11, os médicos do município de Parnamirim decidiram encerrar a greve iniciada no dia 13 de junho.

A decisão da classe foi impulsionada por uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público que exigia o funcionamento da Maternidade Divino Amor com 50% dos servidores, além de atendimento ininterrupto na urgência, emergência e UTI neonatal.

No entanto, os médicos acharam mais sensato retomar em 100% suas atividades a fim de ter a justiça como aliada nessa discussão salarial.

A ação exige também do Município de Parnamirim que, tem 72h, para implementar as medidas administrativas necessárias ao adequado funcionamento da maternidade.

De volta ao trabalho desde a manhã desta terça-feira, 12, os médicos agora aguardam a assinatura de um novo contrato de trabalho, assegurado pelo MP.

Um novo impasse deve surgir diante deste novo contrato, pois a prefeitura apesar de ter cedido quanto a contratação temporária quer manter o valor de R$ 650,00 reais por plantão enquanto os médicos exigem um aumento para R$ 850,00.

A greve teve início dia 13 de junho, depois de uma série de reuniões entre servidores e prefeitura que não avançaram.

O médicos reivindicam reajuste dos plantões, além de outras reivindicações, como a convocação de concurso público para regularizar as relações trabalhistas e melhores condições de trabalho.

Alegando que já ultrapassou o limite prudencial com pagamento de salários, o prefeito Maurício Marques dos Santos apresentou uma contraproposta: pagaria R$ 918,00 por plantão de 12 horas, desde que o contrato fosse feito com a Cooperativa dos Médicos.

A categoria rejeitou a proposta sob alegação de que a contratação via cooperativa era uma forma de “precarizar” o trabalho médico.

Posteriormente, a proposta de reajuste baixou para R$ 850,00 via contrato de trabalho.

Com Carol Reis.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *