MINISTÉRIO PÚBLICO DEBATE SOLUÇÕES PARA O WALFREDO GURGEL

Posted by casciano in Comportamento, Política | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

Com o objetivo de construir uma proposta de ações coletivas no Hospital Walfredo Gurgel, o Ministério Público do Estado se reúne nesta segunda-feira (07), às 9 horas, na sua sede da Av. FLoriano Peixoto, com representantes do Fórum Estadual dos Conselhos Profissionais de Saúde (FESARN), da defensoria pública, do Conselho Estadual de Saúde, da UFRN e da OAB.

Propostas para a audiência do Ministério Público, solicitada pela Dra. Iara Pinheiro, foram temas da última reunião do Fesarn, ocorrida na última sexta-feira (04) na sede do Conselho Regional de Enfermagem.

Os conselhos profissionais de Saúde participantes do Fórum encontram-se mobilizados para buscar resultados concretos através de ações e estratégias para melhoria efetiva da qualidade da assistência em saúde do Walfredo Gurgel.

Durante a reunião do Fesarn foram feitas propostas de ações estruturantes imediatas e a médio prazo que serão consolidadas num documento a ser discutido junto ao Ministério Público e, posteriormente, divulgado e encaminhado para as autoridades competentes.

Para a presidente do Coren-RN, Alzirene Nunes, coordenadora do Fórum é necessário manter uma política permanente de avaliação da qualidade da assistência do Hospital Walfredo Gurgel, seu abastecimento sistemático, condições de trabalho, para que desta forma não ocorram mais perdas de vidas humanas creditadas a esses fatores.

Participam das reuniões do Fórum representantes do Conselho Regional de Odontologia (CRO/RN); do Conselho Regional de Farmácia; do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO1);do Conselho Regional de Enfermagem; do Conselho Regional de Medicina (CREMERN); do Conselho Regional de Biologia; do Conselho Regional de Psicologia (CRP/RN); do Conselho Regional de Educação Física (CREF 10-PB/RN) e do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV/RN).

Com Elys Rocha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *