PRA INOVAR MAIS 500 NEGÓCIOS NO RIO GRANDE DO NORTE

Posted by casciano in Economia | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

Programa de inovação atenderá 500 negócios no interior.

Do total, 250 estão em Mossoró, 150 no Vale do Açu e os outros 100 funcionam na microrregião de Macau. Em todo o estado, o ALI pretende atender 1,6 mil pequenas empresas ligadas à produção industrial.

Pequenas empresas do setor da indústria, instaladas no eixo da região do Vale do Açu, microrregião de Macau e Mossoró, já podem aderir ao programa de Agentes Locais da Inovação (ALI).

A ferramenta desenvolvida pelo Sebrae acaba de ser lançada em Assú, município que se tornou o primeiro do interior do País a receber essa ferramenta.

O intuito é impulsionar o crescimento e fortalecimento dos negócios por meio de processos inovadores.

Um total de 500 empreendimentos da região serão beneficiados com o programa.

Desse total de negócios que podem participar do Programa de Agentes Locais da Inovação, 250 estão em Mossoró, 150 no Vale do Açu e os outros 100 funcionam na microrregião de Macau.

Em todo o Rio Grande do Norte, o ALI pretende atender 1,6 mil pequenas empresas ligadas à produção industrial.

De olho na oportunidade, o empresário do setor ceramista, Francisco Diassis Albano, já aderiu ao programa.

O empreendedor produz cerca de um milhão de peças, entre telhas, tijolos e lajotas ao mês, e pretende, através do diagnóstico e orientações, modernizar os processos produtivos e reduzir custos na empresa.

“Quero modernizar a produção, fazendo a automatização, e com isso vou diminuir os meus custos. Outra coisa que pretendo fazer depois da consultoria é minimizar os danos ao meio ambiente com o uso de fornos que retêm o calor, e melhoram a produção”, explica.

Durante o lançamento do Programa ALI, na sede do Escritório Regional do Vale do Açu, o diretor técnico do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcante Júnior, destacou a necessidade de promover a inovação como forma de manter a empresa viva no mercado.

“O Sebrae acredita no potencial desta região, e justamente por isso estamos oferecendo esta ferramenta tão importante para a sobrevivência das empresas. A inovação é determinante para a manutenção da empresa no mercado. Quem não fizer inovação em seu negócio, não vai demorar muito tempo no mercado”, prevê.

Pelos dados do Cadastro Empresarial do RN (CEMP), 4,65% das empresas potiguares são indústrias, o que representa um universo de 3.037 empreendimentos, formado predominantemente de unidades de pequeno porte.

No entanto, com um índice de 62%, o RN detém a quarta posição de mortalidade empresarial nos dois primeiros anos de funcionamento do negócio.

“Essa mortalidade ocorre muito por falta de planejamento, mas poderá ser evitada com a adoção de medidas simples, sem a necessidade, por exemplo, de grandes investimentos em recursos ou tecnologia”, avalia Marcus Vinícius Bezerra, coordenador Nacional do Programa ALI.

Para participar do Programa, o primeiro passo é o preenchimento do formulário de adesão. Em seguida, a empresa passará a receber as visitas de um, dos dez agentes que atuarão no projeto.

O acompanhamento tem duração de dois anos.

Para o prefeito de Assú, Ivan Lopes Júnior, que também participou da cerimônia de lançamento, os ganhos com o Programa se estenderão não só às empresas.

Mas também à população, que contará com produtos e serviços de melhor qualidade.

“Ganha o município, que recebe incentivos para o seu desenvolvimento, e ganha a população, que terá mais qualidade nos serviços prestados pelas empresas. Esta é mais uma iniciativa louvável do Sebrae, parceiro dos municípios e dos empresários”, elogia.

Atendimento é o segundo ciclo do Programa de Agentes Locais da inovação no Rio Grande do Norte.

Durante o primeiro ciclo, 1.560 empresas do segmento do comércio no Bairro do Alecrim, em Natal foram atendidas por meio da ferramenta.

O programa amplia os índices de qualidade, produtividade e competitividade das empresas atendidas, por meio de consultorias especializadas.

Os agentes são universitários da área de gestão que atendem aos empresários, repassando noções de novas tecnologias em processos, produtos, organização e marketing.

Os agentes identificam as carências e necessidades e indicam as soluções mais compatíveis que contribuam para o desenvolvimento da empresa.

Para atender às empresas, os acadêmicos recebem uma capacitação de 250 horas.

Todo o trabalho é supervisionado por consultores seniores, selecionados pelo programa.

A metodologia do ALI já está presente em 25 estados, exceto São Paulo e Minas Gerais, este último será o 26º estado a aderir ao ALI com meta de atender 7,5 mil empresas mineiras até 2014.

O Rio Grande do Norte foi um dos primeiros estados a executar o programa, lançado pelo Sebrae em 2008.

Texto: Sandra Monteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *