PROJETO PALCO GIRATÓRIO DO SESC APRESENTA ESPETÁCULO CARTAZ DE RODEZ

Posted by casciano in Cultura | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

No período de 09 a 11 de julho, o Sistema Fecomercio irá realizar o Palco Giratório, um projeto do Departamento Nacional do SESC que promove espetáculos itinerantes em várias cidades do país, com o objetivo de difundir e possibilitar o acesso da população aos bens culturais.

Agora está em cartaz a peça Cartas de Rodez, da Cia. Amok.

Em Mossoró será apresentada nos dias 09 e 10, às 20h, no teatro Dix-Huit Rosado.

A programação do Palco Giratório contempla ainda uma oficina de teatro para 25 pessoas, que será ministrada pela professora Fabianna de Mello e Souza, da Cia. Amok.

A atividade acontece nos dias de apresentação, no próprio teatro, a partir das 10h.

Este momento é um convite ao exercício cênico dos atores, que recebem orientação profissional, promovendo um intercâmbio de conhecimento.

No dia 11, o espetáculo será encenado em Natal, às 19h30min, no Teatro Alberto Maranhão.

A entrada é 1kg de alimento não-perecível, que será revertido para o programa do SESC de segurança alimentar, Mesa Brasil.

As senhas antecipadas serão entregues na unidade do SESC Mossoró.

Sinopse Cartaz de Rodez

O espetáculo é uma seleção de cartas do ator, poeta e dramaturgo francês Antonin Artaud ao seu psiquiatra, Doutor Ferdière, durante os anos de 1943 a 1946, período em que esteve internado no manicômio de Rodez.

As cartas são um diálogo desesperado de Artaud com seu médico e, através dele, com toda a sociedade.

O espetáculo não procura imitar Artaud, nem mesmo nos separar completamente dele.

Trata-se de uma transposição para a cena do poeta e de sua situação.

A construção deste espetáculo leva a um estabelecimento do diálogo teatral entre dois homens pertencentes à mesma geração, que romperam com seus predecessores e fundaram o trabalho do ator sobre uma ciência precisa e rigorosa do corpo.

Foi um confronto das suas pesquisas, suas visões, imaginar o ator como um hieróglifo animado, desenhando o espaço com seus gestos e golpeando forte o ar com o sopro.

Cartas de Rodez estreou em 1998 no Instituto Philipe Pinel no Rio de Janeiro e recebeu o prêmio Shell de Teatro de melhor direção para Ana Teixeira e melhor ator para Stephane Brodt.

Também recebeu o prêmio Mambembe de melhor espetáculo e a indicação de melhor direção para Ana Teixeira.

Com Assessoria de Imprensa do SESC.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *