STANDARD & POORS REAFIRMA GRAU DE INVESTIMENTO DO GRUPO NEOENERGIA

Posted by casciano in Economia | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

Neoenergia e distribuidoras Coelba, COSERN e Celpe mantém ratings ‘BBB-‘ na escala global e ‘brAAA’ na escala nacional.

Perspectiva continua estável.

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s confirmou nesta terça-feira (03/04) os ratings de créditos corporativos do Grupo Neoenergia e de suas subsidiárias – Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e Companhia Energética do Rio Grande do Norte (COSERN) – como ‘brAAA’, nota máxima em Escala Nacional, e ‘BBB-“, em Escala Global.

“A perspectiva é estável, baseada na expectativa de que o grupo irá manter a liquidez e forte geração de fluxo de caixa, enquanto faz investimentos significativos e implementa o terceiro ciclo de revisão tarifária em 2013”, informa a agência.

O presidente da Neoenergia, Marcelo Corrêa, comemorou a confirmação do rating de investimento.

“A agência ressalta que o grupo mantém uma estratégia financeira integrada e é muito ativo na gestão das suas subsidiárias. E aponta que fazer parte do grupo Neoenergia melhora a flexibilidade financeira de nossas distribuidoras. É um reconhecimento importante ao nosso trabalho voltado para a eficiência e solidez do Grupo”, afirma o presidente.

Em 2011, alguns destaques do Grupo Neoenergia foram: o início das operações da Usina Hidrelétrica Dardanelos (MT); a aquisição da empresa EnergyWorks, de cogeração de energia; a implantação do projeto Pituaçu Solar – 1º estádio com geração de energia solar da América Latina; a operação comercial da subestação Narandiba (BA); e o início das obras da Usina Hidrelétrica de Teles Pires (na divisa dos estados de Mato Grosso e Pará).

O grupo também foi um dos vencedores do leilão de transmissão da Aneel, para a subestação Extremoz (RN).

Os resultados financeiros da Neoenergia em 2011 foram: lucro líquido de R$ 1,55 bilhão; Ebtida/Lajida de R$ 2,89 bilhões; investimentos de R$ 2,1 bilhões e receita operacional bruta de R$ 14,02 bilhões.

No total, as distribuidoras e geradoras do grupo forneceram 31.563 GWh de energia em 2011. Atualmente, as usinas em construção e em operação pela Neoenergia, ou com participação desta, contam com uma capacidade de 4 mil MW.

De acordo com a S&P, o perfil de risco do grupo e de suas subsidiárias é “satisfatório”, devido à maneira eficaz com que o grupo tem “integrado as operações de seus negócios de geração e distribuição de energia elétrica, capturando sinergias e melhorando consistentemente os indicadores de qualidade”.

O relatório afirma ainda que a rentabilidade das distribuidoras da Neoenergia é positiva na comparação com outras empresas do setor.

O Grupo Neoenergia, terceiro maior investidor privado do segmento no país, recebeu grau de investimento em escala global da Standard & Poor’s em março de 2010, tornando-se a primeira holding privada do setor elétrico brasileiro a ter essa avaliação, com rating BBB-\Stable na Escala Global e brAAA / Estável na Escala Nacional Brasil.

Texto: André Sales.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *